Creio que, com o tempo, merecemos que não haja governos [Borges]

José Alberto Ferreira

Carlos Alberto Machado, desde sempre ligado ao teatro, conhecedor das suas tábuas e dos avessos, cativa um lugar nuclear na produção portuguesa contemporânea. Digo-o para que conste, sem retórica nem favor.

Com efeito, no quadro de euforia que entre nós tem feito proliferar edições, prémios, oficinas de escrita, revelações e revelados de muitos e variados modos, a produção de Carlos Alberto Machado – quer no seu conjunto, quer nas relações que estabelece com tendências do escrever contemporâneo – traça vias e deixa sinais que uma agenda da escrita dramática portuguesa não poderá, jugo eu, contornar.

(…) escrita que a cena não tem enjeitado (e vice-versa). E não creio que o futuro da escrita dramática lhes possa ser alheio. A isso a que chamo futuro não será, certamente alheio ou indiferente Carlos Alberto Machado, e só podemos aguardar com impaciência e expectativa os seus próximos contributos.

José Alberto Ferreira (Docente da Universidade de Évora), apresentação da obra dramatúrgica de Carlos Alberto Machado (SPA, 20 de Março de 2002)

Hamlet & Ofelia, Companhia de Teatro de Almada, encenação de Joana Fartaria