Creio que, com o tempo, merecemos que não haja governos [Borges]

PÉS NO CHARCO

Coimbra, Do Lado Esquerdo (2017)

 

Não digníssima senhora não

a poesia não é o que imagina

escondida língua de saguão

rima na fenda de vossa prima

lodosa viperina desleal será

de seguro ninguém lhe dirá

o que ela é ou deverá ser pois

é de sua índole não pôr de acordo

nem as duas partes de um homem

imagine então ilustríssima dama

a poesia.