Creio que, com o tempo, merecemos que não haja governos [Borges]

OS BRAVOS DO KOSOVO

1

Dia. Kosovo. Klina. Aquartelamento do destacamento militar português. Caserna do Pelotão Os Bravos do Kosovo.

ELIAS

Merda de patrulha…

Quando é que chegaste?

Paulo

Há umas horas.

ELIAS

Vieste substituir o… aquele que…

Paulo

Quem?

ELIAS

Esquece, não é importante…

Paulo

Vocês aqui estão mesmo estranhos…

2

Noite. Kosovo. Uma aldeia nos arredores de Klina completamente destruída por um míssil.

KATRITĔ

Os aliados ficavam lá em cima a atirar as bombas e os sérvios cá em baixo abatiam-nos como cães raivosos. Nem eu nem os meus irmãos albaneses nunca mais queremos ver um sérvio à nossa frente. Cresci com eles, é verdade, fui amiga deles, brinquei e estudei com eles. Mas quando veio o Milosevic vieram os insultos, as perseguições, as prisões, os espancamentos, as mortes. Indivíduos que viviam na nossa rua, no nosso prédio, que conversavam connosco, que eram até nossos amigos e de repente começaram a espancar-nos, a queimar-nos a casa, a expulsar as pessoas, a violar as mulheres, a matar pais e mães e filhos. Nunca mais quero ver um sérvio à minha frente. Como é que se pode olhar para um tipo que nos matou pai, irmãos e marido?

(…)

(de Os Bravos do Kosovo)

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s